Cultura moçambicana junta-se aos Jogos Africanos

31 de Agosto 2011, 19:44

Juntar o desporto e a cultura e fazer das duas uma grande festa já não é novidade no país. Desta vez Moçambique foi chamado não só para organizar um evento desportivo, mas também para mostrar o que de melhor se faz em termos de cultura.

É desta forma que nasce a "Aldeia Cultural", um espaço criado dentro do recinto da vila olímpica e que vai acolher várias actividades culturais ao longo dos 15 dias do evento.

"Esta iniciativa surge a pensar nos atletas. Os atletas, durante a estadia no nosso país, poderão "beber" um pouco da cultura moçambicana em todos os aspectos", explicou Manuela Soeiro,  responsável pela Aldeia Cultural.

Ao todo são 1500 artistas que vão  fazer a festa durante todo o evento. Entre as actividades culturais destacam-se a poesia, música, artesanato, teatro e ainda a gastronomia. "Desafiamos os fazedores da cultura a juntarem-se na festa e o feedback foi positivo, e hoje contamos com muitos artistas que vão abrilhantar os atletas não só mçambicanos como também os estrangeiros", acrescenta Manuela.

Os preparativos da Aldeia Cultural já estão quase prontos, faltam ainda alguns acabamentos.

É de lembrar que a Aldeia Cultural acontece todos os anos entre os dias 20 e 25 de Maio, mas a convite do Comité Organizador dos Jogos Africanos (COJA), a organização transferiu o evento para Setembro para este coincidir com os Jogos Africanos e para dar um outro impacto ao evento.


“Queremos que, durante os jogos africanos, todos os atletas se sintam em casa, e cabe a cada um de nós dar esse apoio para que eles saibam que Moçambique é um país hospitaleiro”, concluiu a coreógrafa.

PÉROLA JAIME COMANDA ABERTURA CULTURAL DOS X JOGOS AFRICANOS

São ao todo 700 jovens de diversos grupos culturais que juntos vão fazer a abertura cultural dos X Jogos Africanos Maputo 2011, a decorrer já no próximo sábado, dia 3, no Estádio do Zimpeto, a partir das 18 horas e transmitido para o mundo inteiro.

"Estamos na recta final e todos os momentos são cruciais para nós, pelo que estamos a trabalhar de manhã e a noite", afirmou Pérola Jaime em entrevista a STV.

Os ensaios começaram tarde, há quatro meses atrás e a pressão é ainda maior, mas segundo a coreógrafa, nada é impossível e os ensaios estão a decorrer a bom ritmo.

Segundo a coreógrafa, serão 45 minutos de dança tradicional moçambicana, ginástica artística e salto à corda.

Durante os ensaios os jovens dançavam em uníssono, ao som da timbila e com potes de barro na cabeça.

SP

SAPO

Comentários



Banca de Jornais

Votação