Zimpeto prepara-se para a festa

3 de Setembro 2011, 22:22

Às 12 horas, os carros ainda circulam na Estrada Nacional Número 1, sem engarrafamento. Vão andando devagar, entre a confusão habitual do Zimpeto, com os chapas, as barracas de venda, crianças que correm, e frango assado, mas nada de invulgar num sábado de manhã de final do mês.

Ao aproximar do Estádio é que se começa realmente a sentir que hoje é dia de festa. As bandeiras dos Jogos Africanos esfoaçam ao vento, dezenas de autocarros já estacionaram nos parques e a polícia indica os caminhos de cada carro acreditado a entrar no estádio. Dentro do perímetro, são às centenas as crianças que treinam ao som de uma música que só ouvem na cabeça. São os meninos do Clube Africanito, da Escola Primária Completa de Malhazine, que vão mostrar ao presidente da República, Armando Emílio Guebuza, quão bem fazem ginástica aeróbica desportiva.Numa mostra de oito minutos, hão-de dançar perante milhares de pessoas, um momento que Teresa Rancho, uma das meninas de 12 anos, anseia. “Estou orgulhosa por participar dos Jogos Africanos”. Manuela Munempo, coordenadora do grupo, diz que “estamos aqui para dar força aos Jogos e assistir à cerimónia”. Foram três meses de preparação, e agora, já faltam poucas horas para o momento tão desejado. A ansiedade só acalma à passagem da mascote Cojito, que vai animando os corredores.

Da Feima para o Zimpeto
À mesma hora, já Alexandre Zavala e Teresa Tomás Mande montam a sua banca de venda de artesanato nas galerias do Estádio Nacional do Zimpeto.
Ambos costumam estar na Feira de Artesanato do Parque dos Continuadores, mas, a convite da Associação Anarki, vieram expôr aos Jogos Africanos. “Esperamos vender muito aqui, tanto a moçambicanos como a turistas”.
Entre bijuteria e malas de capulana, ambos têm o sorriso nos lábios de quem espera sair vitorioso da X edição dos Jogos Africanos. Teresa, que está no negócio com o pai e faz as peças com as próprias mãos, não esconde o seu sorriso por estar dentro do perímetro do Estádio. Por seu lado, Alexandre só espera que, para além de vender muito, os Jogos corram bem, sem lesões, nem problemas. “Parabéns Moçambique! Parabéns África!”, exclama ele.

Os preparativos dentro do Estádio
Dentro do estádio, os preparativos também seguem sem tempo para descanso. Os portões já abriram e, embora as bancadas ainda estejam vazias, dentro de quatro horas, Armando Guebuza tomará o seu lugar e tudo tem de estar perfeito.
Assim, cada um se prepara à sua maneira. Um atleta corre pela pista, ao som das timbilas e dos tambores que ecoam pelo estádio, qual uivo de lobo em floresta. Os músicos preparam-se, olhando para o maestro que não tira os olhos deles. Em uníssono tocam e ritmam os passos de um grupo de rapazes compassadamente no relvado de futebol, como se fossem para a luta.
A poucas horas da cerimónia oficial, o estádio do Zimpeto prepara-se a rigor para a festa e o entusiasmo é geral.   

Marta Curto

SAPO MZ

Comentários



Banca de Jornais

Votação